Compartilhar Notícia

País foi o primeiro a ter uma fábrica da montadora fora do Japão.

O Brasil foi o primeiro país a ter uma fábrica da Toyota fora do Japão, em 1958. Antes disso, porém, a marca já tinha um representante exclusivo por aqui: era a Sociedade Comercial Arpagral Ltda., cujo principal negócio era importar chassis de veículos comerciais da Toyota, adaptá-los com motores a diesel Mercedes-Benz e mandá-los para encarroçadores que os transformavam em micro-ônibus e lotações. O mesmo importador também vendia aqui chassis da Isuzu — fábrica rival da Toyota no Japão.

A Arpagral trazia ainda os jipes Land Cruiser FJ-25 com motor de seis cilindros em linha a gasolina que a Toyota clonara dos Chevrolet. Os chassis podiam ser vestidos com carrocerias brasileiras ao gosto do cliente. Vieram até alguns automóveis de passeio Toyopet Crown.

Comandados por Ichiro Nishitani, “um energético japonês naturalizado brasileiro”, os negócios da Arpagral incluíam uma indústria de pesca na Ilha Grande, atividades gráficas e até a fabricação de meias e brinquedos.

Em 1º de novembro de 1955, o GLOBO publicou uma nota onde se lia que a Toyota estava interessada em montar uma fábrica de jipes em Santa Luzia (MG).

A ideia foi adiante — não em Minas, mas em São Paulo, quando, segundo uma reportagem de 26 de abril de 1956, chegaram do Japão um vice-presidente da Toyota e um executivo que trabalharia com Nishitani na implantação de uma empresa de capital misto.

A produção do Land Cruiser começou em 1958. Em 1962, uma nova fábrica foi inaugurada em São Bernardo do Campo, o jipe ganhou motor Mercedes e foi rebatizado de Bandeirante.

Por causa de seus outros negócios, Nishitani (que chegou a ser diretor vice-presidente da Toyota do Brasil) faliu em 1967. Até morrer, em 2002, aos 85 anos, trabalhou na tentativa de se reerguer.

Publicada em 20/10/2016 - 15:38 por Exame

Dezembro/2015