Compartilhar Notícia

Toyota também lançou um serviço de financiamento e fidelidade batizado de Ciclo Toyota.

Após quatro anos de mercado, finalmente a Toyota se moveu para suavizar as linhas do Etios. As mudanças estão concentradas nos para-choques, exclusividade da versão Platinum, que passa a se diferenciar do restante da linha. 

A versão tem preço tabelado em R$ 62.490 (hatch) e R$ 65.990 (sedã). Nos itens de série estão sistema multimídia com TV digital, sensor de ré, bancos traseiros bipartidos, computador de bordo, kit elétrico (retrovisores, vidros e travas elétricas), transmissão automática de quatro marchas. 

Hilux

Junto com o Etios, a Toyota também lançou a versão flex da dupla Hilux e SW4. Tanto a picape quanto o utilitário-esportivo (SUV) passam a ser equipados com motor 2.7 de 163 cv e 25 mkgf de torque e caixa automática de seis velocidades. O motor passa a equipar as versões de entrada, sendo que na picape os preços giram de R$ 111.700 a R$ 131.200, enquanto que no jipão o valor inicial parte de R$ 159.600 na opção para cinco lugares e R$ 164.900 na versão com sete lugares.

Financiamento

Junto da apresentação do Etios Platinum, a Toyota também lançou um serviço de financiamento e fidelidade batizado de Ciclo Toyota. Em tese, trata-se do mesmo formato já adotado por aqui pela Chevrolet, em que o consumidor dá uma entrada, financia uma boa parte e sobra um valor residual que deve ser quitado no final do plano; ou utilizando o carro para abater no valor e financiar um novo modelo.

Segundo o vice-presidente de Marketing Miguel Fonseca, o montante mínimo de entrada é 30% do valor, com financiamento em até 36 parcelas da “fatia” intermediária e um restante residual. 

Como funciona

Para entender melhor, basta simular a compra de um Etios X 1.3, que, considerando preço inicial de R$ 44.120, disponível no site da Toyota Dentro do plano, o consumidor dá entrada de R$ 17.648, assume um financiamento de outras 36 parcelas de R$ 534,80 (R$ 19.252,80) e no final de três anos ainda resta um resíduo de R$ 17.648, totalizando em R$ 54.548,80, ou seja, mais de 20% de juros. Numa economia em recessão e com inflação elevada, o modelo pode até parecer interessante, pois o valor mensal gasto é relativamente baixo.

O problema é que o consumidor brasileiro não tem o hábito de fazer poupança. Sendo assim, precisa se policiar para poupar mensalmente outros R$ 490 para quitar o valor residual. Senão, se vê obrigado a entregar o carro para quitar o débito a um valor de 85% em relação à tabela da Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas (Fipe), ou refinanciar o resíduo, com a taxa de juros vigente.

Revisões

Além disso, para poder continuar no plano, o consumidor deverá cumprir todo o programa de manutenção na rede autorizada e instalar apenas acessórios originais vendidos na rede.

 

Para a Toyota, o plano é uma verdadeira mão na roda para manter sua operação estável. Segundo Fonseca, que atuou na Toyota Europa, o modelo corresponde a 85% das vendas da marca no Reino Unido. “A entrada de 30% é um valor sustentável para manter nossas operações e dar ao cliente um modelo flexível de pagamento”, afirma.

Publicada em 08/08/2016 - 12:26